quinta-feira, 13 de abril de 2017

A M. Quintana

Grandiosidade

I

Grandiosa não é tua poesia porque me emociona
Ou agita meus pensamentos com um anexim.
Grandiosa é tua poesia porque me assalta
E leva um sorriso de mim.

II

Tua poesia é menos redentora
Do que é um animoso festim.
É ela sim um diabrete sintáxico
Que faz de meu riso seu butim.

III

No carnaval das palavras
Ela é  um ardiloso arlequim
A dar rodopios com meu humor
Trajado em fausto negro e carmesim.

IV

Tua poesia não é urbana,
Não ergue prédios em mim.
Vaga silente no deserto
De meu corpo, povo beduim.



quarta-feira, 29 de março de 2017

Walking in the gate...

Stumbling in the fate



As a stumble in the fate
A picture of you there I saw.
Wasn't it too late
To avoid any flaw?
My eyes filled up,
My mouth dried out,
My mind went crazy
And my heart...
 [ Oh - My - Heart ]
...it got faster.
All my body
Became a party!


quarta-feira, 8 de março de 2017

Poeria teótica e Teoma poeria e Poerema teosia e...

Humorística poerética e Poeresia (além do bem e do mal) humorada e Humorético poétismo e...


O ápice duma poesia
Não é o joguete de sentido;
Tampouco é inscrição de aporia.
O grande experimento aí vivido
Não é fazer mergulhar em profundo sentimento
       (de letícia ou tristeza);
Nem mesmo causar grandiloquente pensamento
       (de dúvida ou certeza).
Grandiosa é a poesia
Que, na calada da noite
Ou em plena luz do dia,
Furta uma risada num açoite;
Assim, de assalto,
Desarma o corpo e sem calma
Faz dar um salto
       (mente e alma).


segunda-feira, 6 de março de 2017

Esvaziar-se de certeza,

Encher-se de sertão

Ser tão vazio
De certeza
Quanto pleno
Dum sertão 
(Vazio).