domingo, 30 de novembro de 2008

Linhas e linhas que parecem ser...


Traços A Um Mesmo Ponto

Cada dia a mais aqui
Só me põem a pensar
De que vale o que escrevi;
Se desde o meu aborto
Já fui fadado a essa
Perda tão depressa;
Que leva meus sentidos
Guiando-os os carrascos
Da bela natureza.
Para onde irá todo
Meu sangue e meu suor,
Se, serei igual a outro
Que perde seu calor.
É-me sedo para uivar
O tempo que escorrega;
Mas não sei se irei acordar
Outro dia incerto;
Minha vida inteira
Que será tirada
Licita como incesto;
Intensa como a libido
A qual ninguém controla
Cercado de dúvidas
Breve tempo do ser
Cheio de desculpas;
Começarei a viver
Sei que a chegada é certa
Mas o caminho até ela
É o que a vida sempre oferta

Nenhum comentário: