segunda-feira, 19 de julho de 2010

Num joguete noctâmbulo:

Vozes vestiginais de vontades volúveis & virgulas vibrantes

Vacância aos que se põem em constante trabalho das dubiedades
Ventura aos que se aventuram para além das duas verdades
Vigor & vitória aos que não se deixaram vencer pelos versos vendidos
Voracidade aos olharam por detrás & para o fundo dos olhos escondidos
Vultuosidade de alma nos enfrentamentos que o caminho traz!

Valentia nos braços e línguas dos que não se deixam dobrar
Veemência ao brado destes que não se deixam morrer sem amar
Virtudes & viço em cada suspiro dos que gracejam da eternidade
Volubilidade nos corpos guerreiros dos que se prostram à verossimilidade
Vulneradores sejam os golpes das espadas contra a dita paz!


Nenhum comentário: