domingo, 29 de agosto de 2010

Fragmentos (IV)

E quando eu penso que...

São tantas coisas para se dizer
Mas tão poucas palavras para descrever

Tantos aromas pra sentir, tantas experiências pra viver,
Tantas regras pra quebrar, tantos sentimentos pra descobrir,
Mas poucos momentos pra se viver

São tantas confusões, tantos preconceitos, tanta burocracia,
Tanta intolerância, ignorância, arrogância, ÂNCIA.
Que não sei o que fazer

São tantos “isso”, tantos “aquilo”, são tantos “não”,
São tantos “desista”, tantos “errado”, tantos “MORRA!”
São tantos "tantos"! Que no fim, eu só posso dizer:

PORRA!
Deixem me viver, só deixem me viver...