domingo, 12 de setembro de 2010

No desvio de algum rincão do universo...

Ausência & explosão de cores

E quando eu me esqueço de mim
É você quem me faz lembrar quanto é pulsante viver

E quando as pontes parecem rompidas
É sua pele que me faz ligar-me a um possível sim

Assim, vão se formando melodias.
Assim, as rimas vão para baixo e para cima.
Assim, os lábios se abrem e fecham
E o mundo expande e se distende ao infinito.

E as palavras se acabam
E os significados se refazem
E seu amor se amplia
E tudo vira fantasia

E por de trás de suas pupilas as cores cintilam,
Os desejos sibilam
E tudo mais é mero acontecimento
E tudo o mais não mais é o mesmo
Tudo novo
De novo
... Para todo sempre?
Par todo sempre?
Parto do sempre?

Nenhum comentário: