segunda-feira, 30 de abril de 2012

Poderia ser uma prosa...


Versos momentâneos

Um momento ao vento,
Um evento lento,
Mas letal.

Desce a garganta – dilacera –,
Corre nas vísceras
& Faz animal.

Palpita o peito
Feito ponta de faca
Que, afiada na língua,
Mata, mata, mata!

& assim terminaria
O que ser uma prosa poderia,
Tanto da vida dum "peão"
Quanto de qualquer outro cidadão,
Até mesmo dum "dr. da academia".


Nenhum comentário: