segunda-feira, 4 de maio de 2015

Eu sou

 Devasso
Eu sei,
eu sou
um sórdido
e insólito
sandeu
sorrindo
ao sol,
seguindo
intenso,
a voz
visível
no soma
que sou
E assim
o sendo,
me sento
viçoso
ao solo
da sua
desgraça,
e sigo
sem ser
sensato
Vou só,
vou sestro
à sólita
miséria,
à insana
soberba
e à sonsa
mesmice
de suas
sovinas
vivências
- Oh Ser
nefasto
de sombras!
Oh ser
soturno
das sobras!

Nenhum comentário: